sexta-feira, agosto 21, 2009

És só meu!



Silencio o tempo
Em cascatas de sons
Num tropeço regular
De cadências e quimeras.

Anoiteço melodiosa
Na espera pesada
Empunhando espadas,
Combatendo as badaladas
Do relógio que te grita
A ausência.

Desembaraço os nós
Da distância sórdida
E mergulho-te na alma,
Abraçando-a, tomando-a,
E por instantes…

… és só meu!

Vera Sousa Silva
Enviar um comentário