domingo, abril 27, 2008

Na distância do teu corpo


Apenas o oceano nos separa,
Não importa a distância do teu corpo
Se bebo sem cessar
As lágrimas que jorram desses rios
Que emolduram meu rosto.
As marés retornam
E aguardo no cais
Ao cair da noite.
Mais uma vez agarro-me ao sonho
E voo nas asas do desejo
Ao teu encontro.
E na distância do teu corpo
Mais uma vez te amo
Na cama negra da madrugada
Que entoa os cânticos fúnebres
Dos amantes perdidos
No oceano que nos separa.


Vera Silva
Enviar um comentário