segunda-feira, setembro 29, 2008

Nasci da tua ausência



Nasci da tua ausência,

Entre os sussurros nocturnos

Da nudez da lua, pálida,

Como a névoa dos teus olhos,

Que te cega,

Indiferente aos queixumes

Sofridos,

Ardentes,

Chorados...

Vi-me coberta de lágrimas,

Invísivel ao inquieto amor

Que só geme em meu peito.

Mergulhei na escuridão

Da noite sagrada,

E perdi-me entre trilhos

De bosques sombrios

(Como a minha alma?)...

Mortifiquei-me destruída

Na sensibilidade da palavra

E ausentei-me

De um corpo

Que nunca foi meu.
Vera Sousa Silva
Enviar um comentário