terça-feira, dezembro 14, 2010

Desejo-te para além da racionalidade



Há um beijo guardado no tempo,

algures entre o presente e o futuro,

onde os lábios se tocam

ao sabor da ventania das mãos.



O corpo cede,

estremece...

O desejo instala-se

lírico, como os versos

do teu poema.



A alma enlouquece

amante do sonho

em que os lábios se cruzam



e o beijo nos perde!

Vera Sousa Silva
Enviar um comentário