domingo, abril 29, 2007

Nua


Nua, despida de mim...
Entrego-me assim
Por inteiro,
Sem razão,
Loucamente,
Por paixão.
Cegamente,
Por tanto amor,
Com luxúria e ardor,
E fico deitada
Esperando, apaixonada,
Que venhas e me tomes,
Que com teu ser me adornes,
Me faças tua, devagar,
Corpos colados a dançar.
Bocas sentidas,
Partilhadas,
Mentes despidas,
Angustiadas,
Até ao grito de liberdade,
E ao olhar cúmplice de vaidade.
E fico assim diante de ti...
Nua...
Inteiramente tua...
Enviar um comentário