sábado, setembro 30, 2006

Poeta

Poeta dos meus encantos
Que escreves teus medos e prantos,
Teus amores e teus pecados.
Com uma caneta sem cor,
O teu riso, tua dor,
Transformas poemas em recados.
Dizes o que te vai na alma,
Com raiva, lágrimas e calma,
Como se escrevesses só para mim.
Leio-te sempre com ternura,
Por vezes com inveja pura,
Também eu queria escrever assim.
Enviar um comentário