sexta-feira, junho 01, 2007

Vai-te amor


Vai amor, para fora!
Sai da minha vida agora
E fico eu neste lamento.
A lágrima, teimosa, chora,
Mas eu peço-te nesta hora
Que saias do meu pensamento.
Ordeno-te, ser cruel,
Que não soubeste ser fiel,
Que desapareças da minha vida.
Quero que sintas na boca o fel,
Como eu senti o mel,
Na nossa despedida.
A outra aguarda-te acordada,
E eu sinto-me malvada
Porque quase te roubei...
No peito cravo-te a espada,
Talvez esteja errada,
Mas não és o que sonhei.
Enviar um comentário