domingo, maio 25, 2008

Liberdade de mulher


Não me digas que sou poema

Se quero ser Mulher,

E abraçar-te, nas vagas de espuma

Encharcadas de estrelas brilhantes

Que saltam dos teus olhos,

E me beijam nos sonhos.

Não me digas que meu corpo é verso

E toma-o, na urgência dos dias,

Sem medos, sem meias palavras.

Porque sou assim...

Tua, secretamente tua...
Vera Sousa Silva
Enviar um comentário