quarta-feira, novembro 01, 2006

Juntos e Sós

Escapas-me por entre os dedos,
Escorrendo entre eles como areia.
Escondes-me segredos
Desvalorizando o que a vida te premeia.

Queria contigo partilhar
Tuas alegrias, tuas dores...
Mas teimas em as deitar
Entre os lençóis frios e os cobertores.

De longe te olho e te aceno,
Num gesto exclusivo de solidão.
Continuas impávido e sereno,
Unificado só em tua razão.

Impossibilitas todas as tentativas
De sermos, tu e eu, um "nós".
Não partilhamos nossas vidas,
Vivemos juntos, mas sós...
Enviar um comentário