quinta-feira, outubro 05, 2006

Alma Gémea


Na procura incessante da alma gémea
Não descobrimos quem está a nosso lado,
Perdemos tempo, tão precioso,
Na descoberta de algo fabuloso
E não vemos de facto o ser amado,
Que por vezes é para nós indiferente,
Porque procuramos aquele ser indigente,
Que pensamos que nos pertence de coração.
Bem perto, muito próximo,
Temos por vezes o grande amor...
Se o olharmos com olhos de ver,
Aquele ser que nunca nos fez sofrer
E que seria incapaz de nos provocar dor...
Eu olhei, finalmente, em meu redor,
E vi-te a ti, meu amado!
Sempre estiveste mesmo aqui,
Estava cega porque não descobri
Que há muito me tinha apaixonado!
Enviar um comentário