domingo, outubro 01, 2006

Traição e Sorte

Entraste bem levemente,
Nem adivinhei teus passos.
Quando sonhei, docemente,
Com calor dos teus braços.
Infortúnio pensar que um dia
Os teus beijos seriam meus.
Quando o dia amanhecia,
Uma grande calmaria
Se apoderava dos céus.
Mas de noite, sozinha,
Deitada naquela cama,
Chorava feita tontinha,
Por quem nunca disse que me ama.
Assim fazem os corações
Das mulheres apaixonadas…
Vivem grandes paixões,
Para serem atraiçoadas.
Amar de verdade alguém
É assinar um passaporte.
Destino só ele tem,
Tudo o que precisamos é de sorte!
Enviar um comentário